Acessos: 836758
Você Sabia?
 
Mês:
01 - 02 - 03 - 04 - 05
06 - 07 - 08 - 09 - 10
11 - 12 - 13 - 14 - 15
16 - 17 - 18 - 19 - 20
21 - 22 - 23 - 24 - 25
26 - 27 - 28 - 29 - 30

VOCÊ SABIA...que, neste dia 30 de abril, é uma boa ocasião para se comemorar os 24 anos da AGRISHOW em Ribeirão Preto?  De 1º a 05 de maio de 2017, acontece a sua 24a. edição.  A ideia da criação de uma feira dinâmica começou a ser formalmente tratada numa reunião realizada no dia 22 de maio de 1993. Isso acorreu na sede da Carborundum, em Vinhedo-SP, presidida por Ivan Pupo Lauandos, diretor dessa empresa e presidente do DNMIA – Departamento Nacional de Máquinas e Implementos Agrícolas da Abimaq. Nessa reunião, que contou com a presença de representantes da Anfavea, e das empresas de implementos agrícolas Marchesan, Baldan, ambas de Matão-SP, e Jumil, de Batatais-SP, tratou-se da “Exposição Nacional Dinâmica de Máquinas e Insumos” e ficou decidido que a Abimaq, Anfavea, Anda, Andef e Abrasem deveriam ser envolvidas no projeto, as quais seriam contatadas após a identificação de uma empresa organizadora. Também ficou decidido que a primeira edição seria realizada no estado de São Paulo e que ela deveria ser uma feira “essencialmente de negócios”, como a Farm Progress Show (USA), mais técnica e menos política, portanto sem apresentações musicais. Em outra reunião realizada em 22 de junho de 1993, agora na sede da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), entre representantes das entidades e das empresas fabricantes, foram definidas as primeiras providências práticas, como uma consulta às entidades e uma pesquisa sobre as empresas organizadoras com experiência para realizar o evento. Na reunião seguinte, realizada em 27 de julho de 1993, a Abag (Associação Brasileira do Agronegócio), a SRB (Sociedade Rural Brasileira), a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) e a Abimaq confirmaram sua intenção de participação no evento que, naquele momento, ficou provisoriamente denominado “1ª Feira Dinâmica de Máquinas Agrícolas”. Os representantes dessas entidades também decidiram reiterar o convite de participação à Anda (Associação Nacional para Difusão de Adubos), Andef e Abrasem. O nome Agrishow foi sugerido por Celso Luís Casale na reunião realizada em 03 de agosto, também na sede da Abimaq. Na ocasião também se tentou definir o local da feira, tendo sido sugeridas, por ordem de preferência, as cidades de Ribeirão Preto, São Carlos e Araras. Embora a maioria dos presentes preferisse a primeira, ainda não havia uma definição quanto à propriedade a ser utilizada. Enquanto isso, já tinham sido realizadas conversações com a Embrapa para uma possível realização da feira na Fazenda Canchim, em São Carlos. Deliberou-se então que a comissão se reuniria em Ribeirão Preto no dia 10 de agosto, para visitar as propriedades disponíveis nessa região, e que, não havendo consenso sobre um local apropriado nesse município, a feira seria realizada em São Carlos. A reunião realizada em 14 de setembro de 1993, na antiga Estação Experimental, situada na Asa Sul do Anel Viário, pode então ser considerada como a data inicial para a implantação da feira em Ribeirão Preto. Nos dias atuais, oficialmente, já não se fala do local como “Estação Experimental” e sim como Agência Paulista de Tecnologia de Agronegócios - APTA, que engloba o Centro Avançado de Pesquisa Tecnológica do Agronegócio da Cana – IAC/APTA e o Polo Regional de Desenvolvimento Tecnológico dos Agronegócios do Centro Leste. Embora conhecida por “Agrishow”, o nome definitivo é Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação. Para ela estão reservados 440 mil metros quadrados desse local, só para a exposição. No total, principalmente para as demonstrações de campo, são 212 hectares. Igualmente são realizados seminários e palestras técnicas, para o aperfeiçoamento do agronegócio. A 1ª. edição, realizada em 1.994, teve um público de 7 mil pessoas.  Para esta nova edição, aguarda-se um público de cerca de 150 mil pessoas, formado, principalmente, por agricultores e pecuaristas, profissionais, empresários, técnicos, representantes das entidades setoriais, pesquisadores, autoridades, lideranças governamentais e membros de órgãos e secretarias públicas. Considerada a maior feira agrobusiness da América Latina, o evento foi objeto de polêmica, a partir do anúncio de que ela deixaria de ser realizada em Ribeirão Preto, onde já se tornou uma marca, e passaria a ser realizada em São Carlos. As forças vivas da cidade, capitaneadas pela Prefeitura Municipal, iniciaram um movimento, que ganhou abrangência nacional, já que um abaixo-assinado foi levado ao presidente da República, defendendo a permanência da Agrishow na cidade. Garantida, pelo Governo do Estado, a permanência até 2.042, foi concebido um Plano Diretor e, a cada edição, têm sido apresentados novos melhoramentos. A organização está a cargo da empresa BTS.

VEJA no site www.plataformaverri.com.br  a sinopse do livro “ AGRISHOW-20 anos”, publicado em 2013 – LINK: http://www.plataformaverri.com.br/?bib=1&local=book&letter=R&idCity=24&idCategory=7&idBook=2098