Acessos: 895366
Você Sabia?
 
Mês:
01 - 02 - 03 - 04 - 05
06 - 07 - 08 - 09 - 10
11 - 12 - 13 - 14 - 15
16 - 17 - 18 - 19 - 20
21 - 22 - 23 - 24 - 25
26 - 27 - 28 - 29 - 30
31

VOCÊ SABIA...que, em 18 de agosto de 1928, nasceu em Ribeirão Preto ODILLA MESTRINER ? Consagrou-se como desenhista e pintora. Entre 1955 e 1956, estudou na Escola Municipal de Belas Artes de Ribeirão Preto ( Escolinha do Bosque), fundada em 1.951 e dirigida por Antonio Palocci, onde foi aluna de Domenico Lazzarini (1920 - 1987) e na Escola de Artes Plásticas de Ribeirão Preto, onde teve por mestres Gismondi, Leonello Berti, Sílvio Pléticos,Vaccarini, Amêndola, principalmente. Os seus primeiros trabalhos foram acadêmicos: paisagens, naturezas mortas e retratos, dentre eles o da mãe Marietta, da irmã Maria Luiza e da avó paterna Cesira. A isso acrescentou casas,  pássaros, gatos, árvores, cidades. Valeu-se, ademais, das técnicas de colagem com diversos materiais, como papelão, fotos, recortes de jornais e palavras desenhadas. Nessa época, montou seu ateliê e apresentou seus trabalhos na Exposição do Centenário de Ribeirão Preto, em 1956. Realizou sua primeira individual na Picolla Galeria do Instituto Italiano de Cultura, no Rio de Janeiro, em 1959. Recebeu, entre outros, o Prêmio Melhor Desenhista pela Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, em 1973. Participou de todas as edições da Bienal Internacional de São Paulo, entre 1959 e 1969, ganhando, nesse ano, prêmio aquisição Itamaraty. São realizadas as retrospectivas Odilla Mestriner: releitura gráfica 1958/1978, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP, em 1983; e a Retrospectiva no Museu de Arte de Ribeirão Preto, juntamente com a publicação do catálogo Odilla Mestriner e a arte em Ribeirão Preto, com texto do historiador da arte Tadeu Chiarelli, em 1994. Em sua obra, Odilla Mestriner apresenta um grafismo cuidadoso e jogos de simetria e reflexão de imagens e módulos. Vê-se a  presença de rostos, organizados em formas convexas ou côncavas, sucessivamente repetidas. Posteriormente, a artista passa a enfatizar mais a cor, em lugar do desenho rigoroso, e o nanquim dá lugar às técnicas de litografia e aquarela. Produziu várias séries, como Equilibristas, Cosmoagonia, Signos, Fantástico Urbano, Espantalhos, Andantes e Bananal.  Suas últimas produções foram acrílica sobre tela nas quais emprega uma gama cromática mais ampla e luminosa Odilla era uma pessoa de muita sensibilidade e intensa vida familiar e muito apegada à maioria de suas obras, afastando galeristas e colecionadores. Faleceu em 10 de fevereiro de 2009. Sobre Odilla foram escritos três livros: "Odilla Mestriner", escrito por Jacob Klintowitz; "A Saga de Odilla Mestriner", escrito pelo irmão Antonio Mestriner e "Odilla Mestriner: o olhar do colecionador, escrito por Rogério Ruiz e Paulo Fabrino.