Acessos: 949476
Livros
A
B
C
D
F
G
I
J
L
M
N
O
P
R
S
T
U
V
 
- Resende (2)
- Restinga (2)
- Ribeirão Bonito (3)
- Ribeirão Corrente (1)
- Ribeirão Preto (641)
- Rifaina (4)
- Rincão (3)
- Rio Claro (15)
 
Ribeirão Preto
Sumário / Índice
COME-FOGO - Tradição e Rivalidade no Interior do Brasil
de RAMOS, Igor
Ano: 2013
Nº de Páginas: 201 pp.
Editora: do Autor
O autor escreveu, antes, sobre o Botafogo, depois, sobre o Comercial e, agora sobre o derby da cidade, o Come-Fogo, disputa entre as duas equipes. O tema não é inédito, pois sobre ele já discorrera o historiador Rubem Cione. Por outro lado, sobre o ´número de partidas disputadas, vitórias de uma ou outra agremiação e gols marcados existe controvérsia. Uns o fazem a partir da existência das duas agremiações, outros, a partir da fase profissional, quando foi concebida a expressão Come-Fogo, por Lúcio Mendes. A propósito os números da fase profissional, para 2014, são: jogos: 138, empates: 52; vitórias do Botafogo: 55, com 178 gols marcados; vitórias do Comercial: 30, com 138 gols marcados. Contudo, na presente obra, as informações são mais completas, indicando uma acurada pesquisa, com importantes revelações, esmerado trabalho técnico com ilustrações, excelente apresentação gráfica. De acordo com a apresentação, o propósito foi aquele de registrar cada um dos duelos, com suas respectivas fichas técnicas. Foi elaborar um guia ilustrado, com os dados compilados para consultas das escalações, jogadores, datas e outros registros estatísticos. Ainda de acordo com o autor, além disso, procurou preencher algumas lacunas sobre a história das duas agremiações, até então existentes nos livros “Botafogo – Uma História de Amor e Glórias”( 2008) e “Comercial – Uma Paixão Centenária” ( 2011), como o empate por 1 X 1, de 29 de setembro de 1.929 e a vitória do Comercial por 1 X 0, em 12 de fevereiro de 1933 e, principalmente, o primeiro jogo em 1º de agosto de 1.920. Algumas dúvidas são elucidadas no livro, dentre elas, como seria possível Comercial e Botafogo não terem jogado, entre si, do final de 1918 até o final de 1.924? Por que só jogaram seis anos depois do surgimento do Botafogo, se partidas amistosas entre times de cidades eram comuns? Na estrutura da obra, o autor aborda as disputas das décadas de 20 e 30, pula de 1.936 a 1954, período em que o Comercial ficou desativado, voltando a focalizar as disputas, partir desse ano, década por década, até aquela acontecida em 8 de setembro de 2012, no Estádio Palma Travassos, do Comercial, pela Copa Paulista, quando houve o empate de 1 X 1. Em passant, o autor apresenta “curiosidades”, como o maior e o menor públicos e ainda destaque para jogadores, técnicos, árbitros, concluindo com fotos de formações das equipes de diferentes épocas .
Autor: Igor Fernando Ramos nasceu em Ribeirão Preto, em 25 de maio de 1.973. Formou-se em jornalismo pela Unesp, em 1.998. Trabalhou nas emissoras de rádio CMN, Rádio 79 e Clube AM. Foi setorista do Botafogo e do Comercial durante 8 anos. No jornalismo impresso, trabalhou nos jornais "Verdade"", "Folha Ribeirão"" e "A Cidade", onde foi editor de esportes de 2003 a 2.010. Foi editor do Diário Lance, no Rio de Janeiro. Em 2.008, publicou o livro "Botafogo - Uma História de Amor e Glórias” ( 2008) e “Comercial – Uma Paixão Centenária”( 2011), Cobriu os Jogos Panamericanos no Rio de janeiro, em 2007, e a Copa do Mundo de 2.010, na África do Sul.
voltar